IMG_20190504_161752.jpg

   Eu sou a Sara.

 

 Sou mulher, mãe de um menino lindo, eterna sonhadora e apaixonada pela vida!

   Sou apaixonada por olhos que riem, por gargalhadas que vêm do fundo e me fazem ficar com calor, por abraços quentinhos, por pessoas, por afectos, pela palavra sincera.

   Adoro andar descalça, dias ventosos, comer gelados no Inverno, dançar, cantar, caminhar e tantas outras coisas.

Fico deslumbrada com os sinais que o Universo me vai dando quando me sinto conectada com a minha essência e quando me permito ser eu mesma. 

   Amo a Natureza, a sua ciclicidade, os seus elementos, amo fazer parte dela, aprender e redescobrir-me com Ela.

   Quando pensava naquilo que gostaria de fazer quando crescesse sentia que, de certa forma, iria passar por estar ao lado do outro, cuidando-o.

   Foi muito natural para mim escolher a arte do cuidar em enfermagem como caminho. Exerci durante alguns anos e fui muito feliz, até ao momento em que a minha luz interior se começou a apagar, cada dia que passava, um pouco mais.

   O meu coração sentia que o caminho já não podia ser por ali. O meu coração e alma sentiam, mas a minha mente e o meu ego diziam-me “Então Sara, mas tu estudaste para ser enfermeira, o que é que vais fazer agora?” ou “Se não exerces, não és mais enfermeira, então o que és?”.

 Com o tempo, sentia-me cada vez mais desconectada de mim, sem entusiasmo, o que fazia era, muitas vezes, para agradar e ser aceite, não sabia bem o que queria ou quem era de facto, tal era o ruído que trazia dentro de mim. Sentia que não era capaz, que não era merecedora e que não era boa o suficiente para fazer o que quer que fosse de diferente. Sentia muitas incertezas e medos, mas, hoje sei, que foi daqui que surgiu a procura pela minha autenticidade.

WhatsApp Image 2021-04-12 at 10.43.40.jp

  A minha gravidez mostrou-me e trouxe à superfície tudo o que tinha dentro de mim. As crenças, a sombra, as limitações e fragilidades. Mas também a luz, a vulnerabilidade, a autenticidade, a esperança, o amor. Fez-me sentido ter uma Doula para me acompanhar neste processo, para nos acompanhar, e escolhemos a pessoa certa para nós, naquele momento da nossa vida.

  E foi na gravidez, que reencontrei o meu caminho. Percebi que queria continuar a cuidar, sim, mas que o cuidar poderia vir de todas as formas e feitios.   Decidi que queria cuidar sendo Doula, sendo aquela que está, simplesmente, aquela que apoia sem julgamento, aquela que dá um colo amoroso, aquela que relembra a mulher do que ela é capaz, do seu poder imenso, que lhe inato.

O dia em que o meu filho nasceu, foi o dia mais feliz da minha vida. Não só por ter tido a bênção de ser escolhida como mãe de um ser de luz, mas também porque me senti empoderada, conectada, inteira e confiante de que o meu corpo era capaz de parir, era capaz de fazer o Milagre da Vida.

Nesse dia renasci como mulher e nasci como mãe.

E, desde então, tenho vindo a renascer, todos os dias, um pouco mais.

Acredito, cada vez mais, que temos a capacidade de renascer as vezes que quisermos, as vezes que forem precisas, em direcção a uma versão de nós mesmas mais verdadeira.

Decidi, por isso, dedicar-me a acompanhar mulheres, casais e famílias durante o período de gravidez, parto e pós-parto, que decidam percorrer este caminho de transformação, de morte e renascimento, de forma amorosa, confiante e informada.

IMG_20191225_093246.jpg

Estarei aqui, disponível, para te abraçar, se assim o sentires. Para caminhar lado a lado quando precisares, para te apoiar e dar a mão seja qual for a tua decisão. 

Acolher-te-ei com toda a minha amorosidade e humanidade, dar-te-ei apoio para que te possas redescobrir como mulher e mãe, para que te relembres de tudo aquilo que já tens em ti e possas exercer o teu poder pessoal, para que possas escolher o teu caminho de forma consciente, para que a tua experiência possa ser o mais positiva possível.

Com amor e até já!

Sara